<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1750190188405548&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Postado em 05 de Janeiro de 2022

Quando falamos de IoT, a indústria é o setor que desponta como um dos mais evoluídos para explorar os benefícios dessa tecnologia. Isso porque, historicamente, conta com muitos sistemas de automação no processo produtivo, que já coletam dados importantes que podem ser utilizados para aprimorar a gestão, evolução e sustentabilidade do negócio.

A definição de IoT está relacionada à conexão de coisas à internet de forma a utilizar os dados provindos das mesmas para visualizar, analisar e transformar esses dados em informações úteis à otimização de processos de negócios. Neste sentido, a indústria conta com sistemas de automação que já carregam grande parte desses dados e podem, além de provê-los, atuar no controle de equipamentos, conforme retorno das informações recebidas.

O sistema de automação é o componente responsável pelo comando e controle de equipamentos e máquinas que utiliza técnicas mecânicas ou computadorizadas para controlar seu próprio funcionamento. Esse sistema é abastecido de dados cruciais para a operação de toda uma linha de produção.

Já a IoT aplicada às indústrias é identificada pela sigla IIoT (Industrial Internet of Things) e sua característica principal é trazer para estes ambientes indústrias a robustez necessária para suportar e se comunicar com todos os sistemas, otimizando os ativos no processo fabril, reduzindo custos operacionais e promovendo o aumento da produtividade. É um tema bem amplo, mas destaco a seguir algumas das principais soluções discutidas atualmente no setor e no contexto de Indústria 4.0:

1 - SENSORIZAÇÃO NÃO INTRUSIVA

A automação industrial em grande parte é formada por equipamentos e seus sistemas de supervisão. Os mais modernos são providos de sensores que podem potencializar a visibilidade de métricas e, assim, viabilizar inúmeras aplicações e inovações nos processos industriais. Nesse universo, há ainda uma infinidade de sensores paralelos, não intrusivos, que podem ser instalados nos equipamentos e se juntarem aos embarcados.

A ideia é que, além dos parâmetros de controle, saibamos também informações sobre a utilização ou ambiente em que estes equipamentos estão inseridos, através do monitoramento e detecção de condições do ambiente, presença de pessoas, status de segurança, entre outros, de forma que consigamos ter cada vez mais informações que auxiliem tomadas de decisões importantes ao negócio.

2 - PLATAFORMA DE IOT

Uma plataforma de IoT tem o propósito de ser uma base horizontal capaz de receber dados de fontes diversas, armazená-los em um local único e fazer correlações inteligentes entre eles, além de suportar a integração de múltiplas aplicações para visualização destas informações. Na indústria, o papel da plataforma vem para integrar os diversos sistemas supervisórios já existentes, constituindo assim uma base única de dados, que simplifica e agiliza a correlação de informações

Além de centralizar e estruturar os dados já existentes nos sistemas legados, uma plataforma tem a capacidade de receber dados provindos de novos sistemas, sensores ou dispositivos que venham a ser agregados à estrutura futuramente, aumentando assim a capacidade de correlação e gerando cada vez mais informações úteis e estratégicas ao negócio.

3 - DIGITAL TWIN (GÊMEOS DIGITAIS)

Outra tecnologia que se utiliza da IoT e que vem sendo muito explorada nas indústrias globais é a chamada Digital Tiwins (Gêmeos Digitais em tradução livre). Considerada um grande marco da Indústria 4.0, essa tecnologia permite que sejam feitas simulações de produtos e processos a partir da instalação de componentes, como sensores e câmeras em um meio físico, que coletam as movimentações e respostas dos objetos, pessoas e máquinas, e as projetam em um ambiente virtual, sendo possível criar uma cópia exata daquele ambiente ou equipamento

Nas simulações virtuais criadas, é possível não somente acompanhar o monitoramento dos diversos parâmetros de um equipamento, como também projetar mudanças, manutenções e evoluções, gerando insights e respostas sobre a funcionalidade de produtos, inovações e processos. Essas simulações são capazes de prever desempenhos, criar diferentes hipóteses, detectar falhas, projetar melhorias e gerar apontamentos sobre funcionalidades, antes mesmo de tudo ser implementado no mundo físico. O resultado disso tudo são processos muito mais otimizados, mais agilidade e melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.

4 - MANUTENÇÃO INTELIGENTE

Com todos os recursos proporcionados pela plataforma de IoT, entre inúmeras aplicações inovadoras, também é possível realizar manutenções mais assertivas dos equipamentos.

As manutenções conhecidas são: a corretiva, que é aplicada quando o equipamento apresenta mal funcionamento ou uma parada; a preventiva, que tem o propósito de evitar que algum problema aconteça, e normalmente é executada com base em dados disponível em manuais e inspeções; e a preditiva, que além dos dados utilizados na preventiva, leva em consideração o estado real do equipamento.

A manutenção preditiva é muito demandada na indústria, pois vai além das informações conhecidas sobre a máquina e seu histórico. Ela agrega dados referentes a utilização e desgastes reais da máquina que, em sua versão online, traz métricas coletadas por sensores e são transmitidas em tempo real para um mecanismo de análises. Assim, é possível predizer um problema ou quebra e evitar paradas indesejadas da operação.

Um próximo passo possível, que já vem sendo praticado em indústrias com este tipo de visibilidade, é a manutenção prescritiva. Ela entra em ação quando já se conhece as falhas, consegue-se predizê-las e é possível fazer um rápido diagnóstico já de posse da solução do problema.

5 - SEGURANÇA DO TRABALHO

Aplicações com uso de sensores são capazes de prevenir de maneira expressiva acidentes de trabalho. Por meio de crachás com sensores embarcados, por exemplo, é possível monitorar o ambiente e prover a geolocalização de pessoas em plantas industriais. Esse mecanismo traz para as empresas suporte no controle de permanência em áreas restritas ou de risco, fazendo com que a segurança tenha a tecnologia como aliada.

Além disso, soluções como essas podem conter formas de comunicação com os colaboradores em casos de acesso indevido ou alertas de perigo, por meio de vibração ou acendimento de leds presentes no dispositivo. Da mesma forma, o colaborador também consegue se comunicar através de um “botão de pânico”, em casos de mal súbitos ou acidentes, o que facilita e agiliza um pedido de ajuda emergencial.

Essa solução se chama “People Safety Badge” e faz uso de dispositivos inteligentes, que podem ser conectados por tecnologias múltiplas, em ambientes internos e externos, e seu objetivo principal é reduzir riscos para os colaboradores em plantas industriais.

IoT

Comentários

Deixe seu comentário ou dúvida abaixo, lembrando que os comentários são de responsabilidade do autor e não expressam a opinião desta editoria. A Logicalis, editora do blog Digitizeme, reserva-se o direito de excluir mensagens que sejam consideradas ofensivas ou desrespeitem a legislação civil brasileira.