<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1750190188405548&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Modelo Zero Trust e planos de segurança ajudam a proteger os dados tanto em tempos de pandemia quanto na retomada

Postado em 16 de Julho de 2020

O modelo desponta como a solução menos complexa e mais rápida para manter as informações seguras. 

Com as rápidas mudanças que as empresas enfrentaram diante do cenário de pandemia, preocupações com a segurança de dados ganharam ainda mais força, principalmente pelo fato de a maior parte dos funcionários estar trabalhando remotamente. Por isso, ter a visibilidade de quem está acessando, o que está acessando e controlar ameaças são, agora, mais importantes do que nunca. 

Mesmo que a adaptação a um novo cenário seja algo complexo, os tempos atuais também abrem espaço para que diversos projetos-piloto na área de segurança sejam feitos e ampliados no futuro. 

Um dos modelos que podem ser explorados e que será muito útil para as empresas ao longo dos próximos anos é o Zero Trust. Isso quer dizer que todos - usuários e dispositivos - são considerados "não confiáveis" e precisam ter uma verificação antes de acessar qualquer recurso dentro e fora da rede. Dessa forma, a equipe responsável pela segurança de dados atua de forma preventiva, ao invés de reativa. E por estarmos resolvendo tudo de forma remota, o modelo desponta como a solução menos complexa e mais rápida para manter as informações seguras. 

Ameaças virtuais durante a quarentena 

Estabelecer um plano de segurança está diretamente ligado à continuidade dos negócios. No entanto, mesmo que sejam assuntos de extrema relevância dentro das empresas, 38% delas - um percentual bem relevante - não possuem um plano integrado de segurança, optando por iniciativas pontuais, segundo a pesquisa IT Snapshot, da Logicalis. 

É fato que, para essas empresas, enfrentar as mudanças do período de pandemia foi um desafio ainda maior. Isso porque esse momento mais sensível vivido pelas companhias não passou despercebido pelos cibercriminosos, que intensificaram - ainda mais - o envio de links e aplicativos falsos - recebidos por redes sociais e e-mails - que redirecionam os usuários para meios onde os infratores podem roubar os dados confidenciais das empresas. 

É justamente por conta disso que as companhias precisam investir fortemente em um plano de segurança, estruturar ações preventivas, assim como o modelo Zero Trust. É necessário, também, conhecer e usufruir de ferramentas que possam detectar e analisar eventuais ameaças. 

É fundamental estar atento a cenários como: quais são os tipos de e-mails, posts ou materiais que oferecem perigo para a minha infraestrutura e como eu posso evitar recebê-los; quem é ou qual é o IP de quem está acessando esses conteúdos e que treinamento é mais indicado para que isso não aconteça novamente. Tendo iniciado todos esses passos, certamente sua empresa estará segura não somente em tempos de pandemia, mas também por muitos anos adiante. 

 

Tags: Infraestrutura, Segurança

Comentários

Deixe seu comentário ou dúvida abaixo, lembrando que os comentários são de responsabilidade do autor e não expressam a opinião desta editoria. A Logicalis, editora do blog Digitizeme, reserva-se o direito de excluir mensagens que sejam consideradas ofensivas ou desrespeitem a legislação civil brasileira.